TOTAL DE ACESSOS

1º Balseiros da Canção Nativa

1º Balseiros da Canção Nativa
1º BALSEIROS DA CANÇÃO NATIVA - De 17 a 19 de maio - Parque da EFAPI - Chapecó/SC - Clica na imagem e acessa a página da Confraria Musiqueira.

domingo, 3 de março de 2024

O RS PERDEU DOIS MÚSICOS DE FUNDAMENTO

No mesmo final de semana, o cenário musical do Rio Grande do Sul perdeu dois de seus mais ilustres representantes, dois músicos de fundamento chamados:   
FERNANDO CORONA e PAULO SIQUEIRA.    

pianista, cantor e compositor gaúcho Fernando Corona, com 65 anos de idade, sofreu um infarto fatal na última sexta-feira, 01 de março, quando estava visitando seu filho mais velho, em Luxemburgo, na Europa. Ele deixa também as filhas Laura e Júlia. 
Fernando Corona nasceu em Porto Alegre, onde igualmente iniciou sua carreira artística em 1982. Em 1984, foi para a Espanha, onde passou três anos envolvido com a música flamenca e o jazz.
Retornou ao Brasil em 1987, quando  começou a participar de festivais de música, universo que o consagrou como instrumentista e, principalmente como compositor, obtendo premiações em diversas mostras competitivas, notadamente na Moenda da Canção, de Santo Antônio da Patrulha, onde obras como Toda a Minha Rima, O Festival e O Mar Virou Música, todas de sua autoria, saíram premiadas e conquistaram o público. 


Paulo Siqueira, cantor, compositor e um dos mais importantes acordeonista do Sul do Brasil,
faleceu 
no sábado, 02 de março, aos 74 anos de idade, vitimado por um câncer. 
De 1967 a 1979, Paulo Siqueira integrou o conjunto Os Bertussi, acompanhando o também inesquecível gaiteiro e cantor Honeyde Bertussi.
Autor de sucessos da música regional gaúcha, como Saudade da Minha Terra e Velha Porteira, ainda em 1979, Paulo Siqueira cria seu próprio conjunto, com o nome de Velha Porteira, à frente do qual continuou animando fandangos pelo Rio Grande afora. 
Ao longo de sua carreira, Paulo Siqueira gravou  07 discos, sem contar suas participações nos LPs d'Os Bertussi
Paulo também atuou como professor de música em Caxias do Sul e inspira, até hoje, jovens instrumentistas na destreza e na amplitude sonora do acordeon. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixa teu comentário, mas por favor, te identifica.
Grato e um baita abraço.