4 de janeiro de 2019

SUPREMACIA DA MILONGA

Aqueles que acompanham o nosso trabalho no ambiente da comunicação, provavelmente perceberam o rotineiro interesse e a satisfação que temos em elaborar e publicar dados estatísticos resultantes dos trabalhos de pesquisa e processamento de informações que efetivamos, sobretudo no ambiente do nativismo gaúcho. Por favor, entendam como Nativismo, exclusivamente o universo inerente aos festivais, de música e de poesia. 
Nosso mais importante projeto neste sentido é o "Destaques dos Festivais", que promovemos desde o ano de 1998, quando a internet ainda era discada e nem se sabia o que eram "redes sociais". 
No começo, divulgávamos o resultado apenas nos veículos de comunicação aos quais estávamos vinculados. Mais recentemente, passamos a entregar troféus aos agraciados, em grandes encontros, marcados pela confraternização e pela amizade recíproca.  Coisa linda de se ver. 
Bueno, mas voltemos a estatística e as curiosas revelações que a junção destes dados nos proporciona.    
Uma destas constatações, diz respeito aos gêneros musicais das canções e das obras instrumentais vencedoras dos festivais de música do ano de 2018, cujo desfecho gostaríamos de dividir com os amigos a partir de agora.

Nos festivais de Música Instrumental, foram considerados 7 (sete) trabalhos premiados com o Primeiro Lugar.  Os gêneros musicais ficaram  configurados da seguinte forma:        
Chamamé               02
Milonga:                 02                              
Samba/Choro:       02                              
Vaneira:                 01
 No universo dos festivais de Canções (letras com melodia), foi registrada a existência de 13 (treze) gêneros musicais distintos, entre as 38 composições premiadas em Primeiro Lugar.
Acreditamos não ser surpresa para ninguém, o predomínio da Milonga, que pode ser constatada em 19 (dezenove) das músicas vencedoras.  Ou seja, metade das canções que obtiveram premiação máxima nos festivais é Milonga.

Vejam a relação dos ritmos que frequentaram os palcos dos festivais e saíram consagrados:  
Bugio:                       01
Chacarera:              02
Chamamé:              04
Chamarra:              02
Cifra:                       01
Maçambique:        01
Milonga:                19
MPB:                      01
Polca:                     01
Samba:                  02
Toada:                   01
Valseado:              02
Zamba:                  01

A par destes números, nos sentimos impelidos a encaminhar um questionamento aos  compositores, músicos e demais entendedores do assunto:    
Que razões poderiam explicar a supremacia da Milonga no universo do nativismo gaúcho ? 

1 de janeiro de 2019

DESTAQUES DOS FESTIVAIS - AS MELHORES DO ANO



A promoção Troféu Destaques dos Festivais, idealizada e executada há vinte anos pelo comunicador e produtor e eventos Jairo Reis, salientou mais uma vez, aqueles músicos, poetas, compositores, instrumentistas, declamadores, amadrinhadores que obtiveram maior número de premiações nos festivais de música e de poesia realizados durante o ano  de 2018.    Os nomes dos agraciados foram revelados aqui no blog Ronda dos Festivais e também no programa Do Litoral à Fronteira, em postagem publicada no dia 08 de dezembro passado.  


Além das categorias individuais, o projeto TDF2018 estabeleceu novamente a aclamação da Poesia do Ano, da Canção do Ano e da Música Instrumental do Ano.
Para esta delicada tarefa, merecedora de atenta dedicação, foi constituída uma Comissão Avaliadora, formada por pessoas dotadas de lisura, conhecimento e capacidade técnica, cuja incumbência foi ouvir e analisar cada uma das 38 canções, 07 poesias e 07 músicas instrumentais vencedoras dos festivais de 2018 e, deste universo, apontar os melhores trabalhos de cada categoria.  
A referida comissão esteve formada por Gabriel Moraes, Ibaldo Pedra, Jaime Ribeiro, Léo Ribeiro, Loresoni Barbosa, Marcelo Machado, Odilon Ramos e Wilson Galli, oito conceituadas personalidades, todos muito respeitados e com notória credibilidade no ambiente radiofônico, nativista e regional gaúcho. A esses parceiros o nosso sincero e fraterno agradecimento.  
No período entre 01 e 20 de dezembro, cada um dos jurados citados acima, analisou os poemas, as letras e as melodias de todas as obras vencedoras, selecionando, no final, os três trabalhos de sua preferência.
Comparadas as escolhas individuais dos avaliadores e levando em conta as eventuais divergências, chegamos ao veredicto que nos permite proclamar os seguintes resultados: 

MÚSICA INSTRUMENTAL DO ANO:
TRANSCENDÊNCIA
ANDRÉ VENTIMIGLIA
Gênero: Milonga
Autor: André Ventimíglia
Interpretação: André Ventimíglia e Grupo
Festival: 1ª Penca da Música Instrumental - Santana do Livramento

Segundo Lugar:   PamPiano 
Gênero: Milonga
Autor: Cristian Sperandir
Interpretação: Christian Sperandir e Grupo
Festival: 8ª Moenda Instrumental

Terceiro Lugar: Da Cor dos Teus Olhos 
Gênero:  Chamamé
Autor: Uiliam Michelon
Interpretação: Uiliam Michelon e grupo
Festival: 1º Festigaita - Gaita Cromática -  Tapejara





POESIA DO ANO:
JOSETI GOMES
ANTENOR DE VIDA E SONHO
Autora: Joseti Gomes
Declamador: Alvandir Oliveira
Amadrinhador:  Jair Silveira
Festival: Rodeio de Poesia 2018 - Vacaria

Segundo Lugar: Tudo Que Havia de Bueno
Autor:  Rodrigo Bauer
Declamador:   Pedro Junior da Fontoura
Amadrinhador:  Geraldo Trindade
Festival: 4º Esteio da Poesia Gaúcha - Esteio

Terceiro Lugar: Bento Gonçalves Carneiro, Vampiro Sul Brasileiro
Autor: Carlo Omar Villela Gomes
Declamador:  Rodrigo Cavalheiro
Amadrinhador:  Geraldo Trindade
Festival: Sesmaria da Poesia Gaúcha - 23ª Quadra - Osório






CANÇÃO DO ANO:  
LIVRE 
EMERSON MARTINS
Gênero: Chamarra
Letra: Thiago Souza
Melodia: Emerson Martins
Interpretação:  Analise Severo e Jean Kirchoff
Festival: 36ª Gauderiada da Canção Gaúcha - Rosário do Sul

Segundo Lugar:   O Gaiteiro é o Maestro Campeiro 
Gênero: Bugio
Letra: Érlon Péricles
Melodia: Érlon Péricles  
Interpretação: Igor Tadielo
Festival: 27º Ronco do Bugio - São Francisco de Paula

Terceiro Lugar: O Campo Que Ainda Vejo  
Gênero: Milonga
Letra: Leonardo Borges
Melodia: Alex Har
Interpretação: Alex Har
Festival: 14ª Penca Musical Nativista






Os autores da Música Instrumental do Ano, da Poesia do Ano e da Canção do Ano, a exemplo dos demais Destaques dos Festivais 2018, receberão troféus representativos, em data e ocasião a serem definidas em breve.   

A Música Instrumental do Ano, a Poesia do Ano e a Canção do Ano serão apresentadas com exclusividade, na edição do dia 13 de janeiro de 2019 do programa Do Litoral à Fronteira, apresentado por Jairo Reis, na Rádio Bandeirantes AM640 e FM94,9. 

Parabenizamos aos autores, músicos e intérpretes das obras agraciadas com o Troféu Destaques dos Festivais, bem como cumprimentamos a todos os participantes dos eventos realizados em 2018.
Que as conquistas e o sucesso sejam maiores em 2019.

Em caso de utilização e reprodução destas informações, por favor, faça o devido crédito ao autor do presente levantamento, o jornalista e comunicador JAIRO REIS.