quinta-feira, 23 de junho de 2011

26º PONCHE VERDE ANUNCIA COMISSÃO ORGANIZADORA

Recebemos e publicamos o chasque da Comissão Oganizadora do 26º Ponche Verde de Dom Pedrito, um dos mais importantes e tradicionais fesivais de música do Rio Grande do Sul.
O Ponche Verde da Canção Gaúcha, criado em 1986, com vinte e cinco edições ininterruptas, é um dos maiores eventos do gênero, no estado do Rio Grande do Sul e marca registrada na cultura da região do pampa. Valoriza nossas raízes campeiras, cantando a saga de um povo extremamente fiel às suas tradições.  Este evento é inspirado nas origens e na alma do gaúcho de Dom Pedrito, herdeiro natural dos ideais farroupilhas de igualdade, liberdade e humanidade, deixando a cada edição, um legado ao Movimento Nativista do Estado, um dos mais importantes no contexto cultural do mundo.
O Ponche Verde da Canção Gaúcha que, no ano de 2010 recebeu, aproximadamente, 12 mil pessoas, oriundas dos mais diversos e longínquos rincões do Brasil, consagrou-se pela originalidade, organização, persistência e fidelidade de seu público. Está centrado no princípio de democratização e popularização da cultura e viabiliza o acesso a todas as camadas, como instrumento de integração social.   Promovido e organizado há 25 anos pela Prefeitura Municipal, o Festival transcende tempo e espaço, porque é patrimônio imaterial da comunidade Pedritense.
     Uma Comissão Central constituída para coordenar e organizar a 26ª edição do evento, contará com o apoio de diversas subcomissões e será realizado no Parque de Exposições Juventino Corrêa de Moura que oferece a estrutura física necessária, onde acontecerá além da fase estadual, a 10ª Mostra do Canto Campeiro, shows musicais, bailes e acampamentos na “Cidade de Lona”, que será erguida no mesmo local.
Ficaram nomeados, através de decreto, para formarem a comissão central da 26ª edição do PV da Canção, as seguintes pessoas: Gladis Marly Dias Xavier, Eva de Melo Portilho, Luiz Hernany Pacielo Perez, Waltemir da Silva Dias, Luis Carlos Santana Silva
e Denise Silva. Sendo o presidente de honra o prefeito Francisco Alves Dias.
Ao longo de sua trajetória o Ponche Verde teve as seguintes músicas vencedoras:
- 1ª edição: “Sonho e herança de um peão”, interpretada por João Quintana Vieira e Parceria;
- 2ª edição: “Boieira”, interpretada por Miguel Márquez;
- 3ª edição: “Chasque ao vento”, interpretada por Wilson Paim;
- 4ª edição: “Poncho e paz”, interpretada por Antonio Gringo e Quatro Ventos;
- 5ª edição: “A Construção da milonga”, interpretada por Flavio Hansen;
- 6ª edição: “De Alma, canto e fronteira”, interpretada por Léo Almeida;
- 7ª edição: “Milonga pampeana”, interpretada por Adair de Freitas;
- 8ª edição: “Lanceiros negros”, interpretada por João Quintana Vieira e Grupo Parceria;
- 9ª edição: “O Pescador e o rio”, interpretado por Geraldo Trindade;
-10ªedição: “A Troco de nada”, interpretada por Chico Saratti;
-11ªedição: “Quando os touros se apartam”, interpretada por Miguel Marques;
-12ªedição: “Porque canto”, interpretado por Jairo Lambari Fernandes e Joca Martins;
-13ªedição: “Embaixo dos bastos”, interpretada por Jairo Lambari Fernandes;
-14ªedição: Etapa Estadual:“Tempo feio”, interpretada por Jairo Lambari Fernandes; Etapa Local: “Quando as guitarras se calam”, interpretada por Thiago Cezarino;
15ª edição: Edição comemorativa com as vencedoras das edições anteriores concorrendo entre si, sendo campeã a vencedora da 6ª edição “De alma, canto e fronteira”, interpretada por Léo Almeida;
16ª edição: “Tantas milongas”,interpretada por Vinicius Brum;
17ª edição: “De Tribais e nazarenos”, interpretada por Jairo Lambari Fernandes e Joca Martins;
18ªedição: “Empurrando tropa”, interpretada por Joca Martins;
19ªedição: “Quando um mata...mas os dois morrem”, interpretada por Lizandro Amaral e Marcelo Oliveira.
20ªedição: “Quando se vai um campeiro”, interpretada por Miguel Marquez;
21ª edição: “Chamara do tempo antigo”, interpretada por Fabiano Bachieri.
22ª edição: “Nas Tardes Lindas da Tarumã, interpretada por Rainiéri Spohr
23ª edição:  “De prosa e Galpão”, interpretada por Adair de Freitas
24ª edição:  “Milonga de Adeus à Patrício Laguna”, Interpretada por Robledo Martins e Rui Carlos Ávila
25ª edição – “Um Charrua” interpretada por Érlon Péricles

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixa teu comentário, mas por favor, te identifica. Grato e um baita abraço.